Seminários do CBH-Piranga discutem estratégias de educação ambiental

19/09

As informações adquiridas através das experiências já existentes serão utilizadas para a construção de ações de educação ambiental aliadas aos programas do Comitê

Entre os dias 13 e 16 de setembro, representantes do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Piranga (CBH-Piranga) estiveram nos municípios de Raul Soares, Rio Casca, Viçosa e Senhora dos Remédios, respectivamente, para o I Seminário de Educação Ambiental do CBH. O evento reuniu diversas entidades que desenvolvem ações – formais ou informais – de educação ambiental nas Unidades Territoriais da Bacia, ou seja, iniciativas diretamente ligadas à conscientização ambiental ou à educação como consequência de ações voltadas à recuperação do meio ambiente. Os casos de sucesso e as dificuldades encontradas na realização das atividades foram apresentados durante os seminários, sendo que as informações coletadas subsidiarão a estruturação do Programa de Educação Ambiental do CBH-Piranga, que será desenvolvido paralelamente aos programas de melhoria da qualidade e quantidade de água na Bacia do Rio Piranga.

O seminário foi trabalhado seguindo as novas divisões territoriais da bacia, a fim de valorizar a identidade local de cada região, que é formada por 77 municípios e compreende uma população de cerca de 1,2 milhões habitantes. As Unidades Territoriais Estratégicas (UTEs) foram divididas em oito áreas: Alto Piranga, Carmo, Casca, Matipó, Mombaça, Peixes, Turvo Limpo e Xopotó.

Participaram dos encontros representantes dos municípios de Abre Campo, Vermelho Novo, Sericita, Raul Soares, Caputira, Jequeri, Rio Casca, Mariana (distrito de Passagem de Mariana), Viçosa, Senador Firmino, Amparo do Serra, Guaraciaba, Cajuri, São Geraldo, Paula Cândido, Capela Nova, Catas Altas da Noruega, Ressaquinha, Presidente Bernardes, Cipotânea, Brás Pires, Desterro do Melo, Senhora de Oliveira, Brás Pires e Senhora dos Remédios.

Dificuldades encontradas

Unanimidade entre os participantes, a falta de apoio financeiro e estrutural foi destaque entre as principais dificuldades encontradas na execução de atividades com foco na educação ambiental. Também foi mencionada a falta de engajamento da comunidade e a dificuldade de sensibilização dos produtores. Para reverter essas questões, foi enfatizado, entre outros assuntos, a importância da mobilização social, fortalecimento de ações coletivas, formação de mobilizadores e a mudança efetiva de comportamento dos atores envolvidos no projeto. Para Fábio de Oliveira Moreira, representante do município de Abre Campo, “quando um projeto é voltado para o meio ambiente e o resultado não aparece de forma mais ágil, é difícil sensibilizar os produtores a participar e fazer com que eles se tornem multiplicadores”. Já para Eugênio Resende, de Viçosa, “o trabalho com as crianças está relacionado com as famílias, mas isso não é trabalhado de forma direta. Quando conseguirmos integrar crianças, adolescentes e famílias, aí teremos resultados importantes e esse é um ponto chave”.

Alternativas para o sucesso das ações

Entre as soluções para alcançar bons resultados nos projetos, foram citadas a valorização da identidade local e da realidade de cada comunidade, além da promoção de ações que resultem efetivamente em mudanças na vida da população envolvida no programa. “Para que haja êxito na conscientização dos produtores rurais é preciso atrelar a educação ambiental às demandas locais”, destacou José Geraldo Rivelli, membro do CBH-Piranga e representante do município de Brás Pires.

Entre os públicos-alvo a serem trabalhados, entendeu-se a necessidade de priorizar ações que atinjam, direta ou indiretamente, professores, alunos, produtores rurais e multiplicadores locais. Também foi enfatizada a importância de iniciativas de educação ambiental que integrem toda a família, para que sejam provocadas mudanças de atitude em todo o núcleo familiar.

  • Seminário de Educação Ambiental – Raul Soares
  • Seminário de Educação Ambiental – Rio Casca
  • Seminário de Educação Ambiental – Viçosa
  • Seminário de Educação Ambiental – Senhora dos Remédios
© 2016 CBH-Doce - Todos os direitos reservados

Rua Afonso Pena, 2.590 | Centro | Governador Valadares | Telefone: (33) 3212-4350